segunda-feira, outubro 27, 2014

Lançamentos Jane Austen e J.R.R. Tolkien

O fim de ano está recheado de bons lançamentos. Agora em novembro será lançado O diário secreto de Lizzie Bennet, uma adaptação moderna de Orgulho e Preconceito, baseado na série The Lizzie Bennet diaries (sucesso do youtube em 2013) pela editora Verus, além de uma edição ilustrada de Lady Susan, pela Pedrazul Editora.

 

E hoje, o Tolkien Brasil anunciou o lançamento de Tolkien pelos lendários Irmãos Hildebrandt, de autoria de Gregory Hildebrandt Jr, filho de Greg Hildebrandt. Ele e seu irmão, Tim, ficaram famosos por retratar personagens de Tolkien para calendários entre 1976 e 1978.


O livro já está em pré-venda no site da editora Mythos e da loja Comix. Para quem está curioso sobre esse lançamento, confira o booktrailer liberado pela editora Mythos.

segunda-feira, setembro 15, 2014

O Hobbit: a Batalha dos Cinco Exércitos Super Banner


Como fizeram dos dois primeiros filmes, a EW liberou um super banner da última parte da trilogia de Peter Jackson, O Hobbit: a Batalha dos Cinco Exércitos. Desta vez, o banner contém mais elementos do que nos anos anteriores, mostrando cenas dos principais acontecimentos do filme.








Quem quiser conferir o banner na íntegra, é só clicar aqui.

As memórias perdidas de Jane Austen (Syrie James)




Título: As memórias perdidas de Jane Austen
Autora: Syrie James
Editora Record, 319p.

Em dezembro de 1800, aos 24 anos, Jane Austen recebe a notícia de que ela e sua família estão deixando Steventon, lugar onde viveu a vida inteira, para sempre. A mudança para Bath foi somente o primeiro dos eventos marcantes de sua vida. O segundo aconteceu alguns depois: a morte de seu pai, George Austen, deixando Jane, sua mãe e sua irmã Cassandra a depender da caridade de amigos e familiares, já que o reverendo não havia deixado renda alguma e a casa em Steventon havia ido para o irmão mais velho, James. Em uma conversa com outro de seus irmãos, Henry, Jane é convidada para visitar Lyme, onde ela conhece o refinado Sr. Ashford. Depois de um primeiro encontro um pouco diferente, e percebendo que Henry conhece o amigo de Ashford, Sr. Churchill, logo se estabelece uma amizade. Mais do que isso, Jane sente uma profunda conexão com o recém conhecido. No entanto, a partida repentina deles deixa Jane desagradavelmente surpresa, sem entender nada. Ela se conforma em não ter mais notícias dele, até que um encontro inesperado, tempos depois, a faz se sentir enganada. Enquanto isso, ela trabalha em seus livros, reescrevendo, revisando e descartando tudo só para começar novamente, tirando algumas idéias de sua própria história de vida. Quando ela pensa que poderá ter o seu próprio final feliz, tudo cai por terra.

É uma verdade (acredito, universalmente reconhecida) que, com poucas exceções, a apresentação do herói em uma história de amor nunca deve acontecer no primeiro capítulo, mas, de preferência, ser adiada para o terceiro; que um breve alicerce deve ser inicialmente estabelecido, familiarizando o leitor com as principais pessoas, lugares, circunstâncias e conteúdo emocional da história, de modo a permitir maior valorização dos acontecimentos conforme se desenrolam.

Esse livro é maravilhoso. Eu esperava uma coisa completamente diferente, e tive uma surpresa ótima. Em primeiro lugar, já no Prefácio do Editor, a Dra. Mary I. Jesse oferece uma breve explicação sobre o que o tipo de biografia que vai encontrar nas páginas deste livro. Acontece que um operário, ao fazer reparos no telhado da mansão de Chawton House, descobriu um baú repleto de manuscritos e com uma caixa de veludo contendo um anel de ouro e rubi. Os primeiros especialistas que o analisaram formalmente autenticaram os manuscritos como de autoria de Jane Austen. Existiram discussões sobre o conteúdo dos manuscritos, e especulações sobre os motivos que levaram a autora, aparentemente, a querer esconder um caso de amor que ela viveu. Então, a Dra. Jesse, uma destas especialistas, fez as correções necessárias e Syrie James publicou este livro de memórias, exatamente como Jane o escreveu. A história é completamente fascinante e fornece uma nova luz sobre a vida de uma escritora tão amada quanto Jane Austen é até hoje. Dá para perceber claramente a influência dos acontecimentos reais em suas obras (e confesso, algumas cenas me fizeram surtar completamente). Me peguei desejando muito que ela realmente tivesse tido seu final feliz com o homem que amava, mesmo sabendo que não seria possível porque conheço sua história. É estranho afirmar isso sobre um livro que fala de memórias, mas este é um livro que eu recomendo ler e reler e reler sempre que você quiser conhecer uma história de amor que, mesmo não tendo o final esperado, ainda vai aquecer seu coração.

sábado, setembro 06, 2014

Animação de O Hobbit será lançada em novembro de 2014


Como eu já havia postado aqui, graças a uma indicação do Tolkien Brasil, uma animação de O Hobbit seria lançada até o final do ano passado, mas o projeto foi paralisado. No entanto, foi confirmado que esse filme será lançado a partir de novembro de 2014. A animação foi dividida de acordo com o livro, ou seja, terá 19 capítulos. O primeiro, "Uma festa inesperada", está previsto para ser disponibilizado no dia 26 de novembro de 2014. 
Confiram o trailer legendado pela equipe do Tolkien Brasil.

Novas publicações de Jane Austen


Por indicação do blog Jane Austen Sociedade do Brasil, descobri que Jack & Alice, de Jane Austen, foi lançado pela editora Martins Fontes :) Ilustrada por Andrea Joseph, o livro pode ser encontrado na Martins Fontes e na Livraria da Travessa.


Outra notícia excelente veio da Editora Pedrazul, que confirmou que traduzirá Lady Susan (para o fim do ano), Persuasão, e Orgulho e Preconceito, estes dois últimos entre 2015 e 2016, com ilustrações originais. Lembrando que a editora lançará também até o fim do ano a biografia da autora, Memoir of Jane Austen
Agora é preparar o bolso :)

sábado, agosto 23, 2014

Novas publicações de Tolkien


O site da Tolkien’s Society anunciou duas novas publicações de Tolkien. A primeira diz respeito a uma série de cartas nunca publicadas, contendo conselhos sobre escrita do autor para Paula Coston. As cartas foram publicadas no volume de Agosto de 2014 da Writting Magazine.

A segunda diz respeito a tradução original feita por Tolkien do Livro de Jonah, com comentários de Brendan Wolfe, no vol. 4, n. 2 do Journal of Inklings Studies em outubro deste ano. Tolkien colaborou para a Jerusalem Bible (a primeira edição católica romana da Bíblia traduzida para o inglês, cuja primeira edição é de 1966). O editor, Dr Judith Wolfe, afirma que originalmente, esta tradução seria publicada em 2009, mas o projeto foi abandonado.

Para saber mais sobre a tradução do livro de Jonah feita por Tolkien, é só dar uma olhada nesse artigo da Tolkien Library.

The perfect Bride for Mr. Darcy (Mary Lydon Simonsen)


Título: The perfect bride for Mr. Darcy
Autora: Mary Lydon Simonsen
Editora Sourcebooks, 400p.

Darcy pede Elizabeth em casamento, que não aceita. Tentando decifrar o comportamento fora do normal do primo, Anne de Bourgh o questiona e se surpreende com a resposta. Ele é aconselhado a não entregar a Elizabeth a carta que continha toda a explicação que ele se sentiu na obrigação de fazer, pelo menos até os ânimos esfriarem, mas Darcy entrega a carta mesmo assim. Esperando que Elizabeth possa estar pensando nele com um pouco mais consideração, ele deixa Kent. A moça pensa em tudo que ocorreu e no conteúdo da carta, refletindo sobre a situação inteira, quando Anne a chama para conversar, deixando-a mais confusa. Anne, então, decide se meter na história, indo para Pemberley com Darcy, ao mesmo tempo em que Elizabeth aceita viajar com os tios. Após alguma insistência da tia, que adoraria ver a propriedade novamente, Lizzie concorda na visita, enquanto Jane fica cuidando das crianças Gardiner. Mal ela sabe que Bingley planeja voltar a encontrá-la. Quando Darcy chega em Pemberley, antes do esperado, ele também tem uma grata surpresa.

Bom, não tenho muito o que dizer, só que esse livro é simplesmente ótimo. Principalmente porque mostra Anne de Bourgh mais ativa, saindo de baixo das asas de sua controladora mãe e fazendo-e-acontecendo. Adorei-a se metendo na história de Darcy e Elizabeth, bancando o cupido. Um livro excelente. Super recomendo.

sábado, junho 28, 2014

Lançamento da 60ª edição de O Senhor dos Anéis!

De acordo com o site Tolkien Society, cada volume do box contém a capa projetada pelo próprio Tolkien.

“Quando O Senhor dos Anéis foi publicado pela primeira vez, Allen & Unwin pediram a Tolkien para fornecer sugestões de design, mas para manter os custos de impressão baratos, os editores decidiram usar o desenho central do design de Tolkien no A Sociedade do Anel (o Um Anel com o Olho de Sauron no centro, junto com anel de Gandalf Narya) para os três volumes.”(tradução minha) 

O box também contém o livro The Lord of the Rings: A Reader’s Companion, de Wayne G. Hammond and Christina Scull, lançado pela primeira vez em 2004.

Lançamento de Memoir of Jane Austen confirmado!

A editora Pedrazul anunciou que irá lançar em 2015 a tradução de Memoir of Jane Austen, de James Edward Austen-Leigh.


Para quem não sabe, o autor foi sobrinho de Jane Austen, e essa biografia da autora é muito bem recomendada. Finalmente teremos uma edição traduzida aqui. Na página do facebook da editora (curtam lá!), foi liberado o prefácio da tradução de Bruno Loureiro. Com a devida licença da editora:

"A Memória de minha tia, Jane Austen, foi recebida com maior apreço do que me venturei esperar. As notícias sobre elas em periódicos, assim como as cartas a mim endereçadas por muitos daqueles os quais não conheço pessoalmente, mostram que um interesse imbatível ainda existe em tudo o que pode ser contado sobre ela. Me sinto encorajado a, não apenas, oferecer uma Segunda Edição das Memórias, mas também a aumentá-la com elementos adicionais os quais poderia ter evitado apresentar ao público, caso não aparentassem querê-los. Na presente edição, a narrativa foi um pouco alongada, e algumas cartas foram adicionadas; com um pequeno espécime de suas histórias quando criança. O capítulo cancelado de “Persuasão” é apresentado, em observância aos desejos pública e privadamente expressados. Um fragmento de história chamado “The Watsons” está impresso; e extratos de um romance iniciados meses antes de sua morte; mas a maior adição é um conto nunca antes publicado, intitulado “Lady Susan”. Lamento que o pouco que pude adicionar não estivesse presente em minha primeira Edição; pois muito ou me era desconhecido ou não estava sob minha posse quando publiquei pela primeira vez; e espero que possa reivindicar alguma tolerância indulgente pela dificuldade de recuperar pequenos fatos e sentimentos, os quais mergulharam, durante meio século, em profundo esquecimento."

A editora também conta com vários bons lançamentos. Eis o banner de divulgação do lançamento de Evelina, livro que inspirou Jane Austen.


Na fanpage da editora também foram liberados dois trechos da tradução. Confiram aqui e aqui.

No site Jane Austen em Português, está rolando uma enquete / sorteio para escolher a capa da biografia (a ilustração acima é da capa provisória). Para participar, clique aqui.

sábado, maio 24, 2014

Encontrando Deus em O Hobbit (Jim Ware)



Título: Encontrando Deus em O Hobbit: os ensinamentos cristãos presentes no clássico de J.R.R. Tolkien
Autor: Jim Ware
Editora Thomas Nelson Brasil, 197p.

Quais as mensagens cristãs que podem ser encontradas n'O Hobbit? Jim Ware tenta responder essas perguntas através de suas próprias observações sobre as crenças e convicções de Tolkien. Cada capítulo de O Hobbit é analisado segundo os ensinamentos contidos na Bíblia. Ele discute a magia no mundo de Tolkien (que é algo mais subliminarmente mostrada), analisa o papel das águias (um dos meus capítulos favoritos).
Ware analisa o personagem Beorn, comparando-o com a paixão de Tolkien por florestas e sua recomendação sutil de que a natureza deve ser cuidada e protegida; descreve a relutância de Bilbo (o herói relutante) e suas dúvidas, no momento em que os anões confiavam nele sem reservas; examina Bard e seu caráter crítico e realista, comparando-o com outros nomes da história.

Eu adorei esse livro. Pelo título, pode-se pensar que a leitura é chata e entendiante, mas longe disso. Até porque o autor fala de uma forma franca e objetiva ao seu leitor. Vi que Ware se fez alguns questionamentos que eu mesma havia feito quando li O Hobbit pela primeira vez, e ele consegue responder de maneira satisfatória a essas questões (por exemplo, sobre as águias e seu papel na Terra-média). Recomendo.